Quarta-feira, 17 de agosto de 2022
O melhor da notícia ao alcance de suas mãos
informe o texto

Notícias || Polícia

Enfermeira morta chegou a denunciar o filho por furto e alertou sobre uso de droga

Enfermeira morta chegou a denunciar o filho por furto e alertou sobre uso de droga

Foto: Reprodução/Gazeta Digital

Em junho, a enfermeira Fabiana Maria Amado da Silva, 39, denunciou o furto de um celular na Polícia Civil. Segundo ela, o principal suspeito do crime era seu filho. Na oportunidade, ela contou que estava desconfiada do envolvimento dele com o uso de drogas. Na madrugada desta segunda-feira (1), o jovem de 19 anos foi preso suspeito de matá-la com ao menos 20 facadas. Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, e o Conselho Regional de Enfermagem (Coren) lamentaram a morte da servidora do Hospital Municipal (HMC), veja a nota no final da matéria.

Conforme informações apuradas, Fabiana deu carona para o filho na moto da família. Durante o trajeto, percebeu que ele se mexia bastante e quando chegou no trabalho, deu falta do celular. Ela chegou a questioná-lo, mas ele negou o crime. No dia do registro do furto, ela disse acreditar que o filho estava envolvido com o uso de drogas.

Acontece que em maio, após receber seu primeiro salário, o rapaz sumiu por 3 dias e quando voltou para casa, não sabia falar o que tinha acontecido. Vizinhos da vítima estiveram na delegacia nesta segunda, durante o flagrante do feminicídio. Eles lembraram que a vítima era simpática, mas bastante discreta. 

A vizinha da frente, em conversa com o GD , relembrou os poucos momentos em que teve contato com enfermeira.  "Ela era uma pessoa muito discreta, como trabalhava muito não ficava tanto em casa ela chegava e não saia mais. Pela manhã todos os dias antes de sair com muita empolgação ela dizia 'Bom dia vizinha' e quando ela não dava esse bom dia eu já até estranhava", pontuou.  

Outra vizinha, que também esteve na delegacia para prestar depoimento, disse não ter contato com ninguém da rua, mas recordou que horas antes do crime a vítima emprestou o celular para que ela pudesse ligar para o marido.

"Aqui na rua todo mundo fica dentro de casa, eu a conhecia de vista, mas como eu havia brigado com meu marido, por volta das 00h35 eu pedi o celular emprestado a ela, que após eu usar, me deu abraço antes de ir embora", disse.

As testemunhas ainda disseram que ficaram horrorizadas com a situação, já que a vizinha sempre foi discreta e nunca ninguém presenciou alguma confusão vinda da casa dela.  

Fabiana Maria Amado da Silva trabalhava na área da saúde desde 2007, a profissional já atuou em diversos hospitais no estado de Mato Grosso e atualmente estava atuando no  Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).  

Por meio de nota o Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) por meio de nota lamentou a morte precoce e trágica da profissional.  Leia abaixo. 

O caso

Fabiana Maria Amado da Silva, 39, foi encontrada morta na madrugada desta segunda-feira (1), dentro da sua casa, no bairro Parque Paiaguás, em Várzea Grande. O filho dela estava bastante exaltado no momento do flagrante policial. Ele está na delegacia, apontado como suspeito do crime.

As informações preliminares, já que o flagrante ainda está em andamento. Mas, sabe-se que por volta das 3h, a equipe da PM foi acionada para atender uma ocorrência de possível suicídio. Mas, quando chegaram, já encontraram Fabiana desacordada.

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e a equipe constatou a morte dela. Local foi isolado para os trabalhos da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e perícia oficial. Ela estava com vários sinais de facadas no corpo. 

O Delegado orientou aos PMs que levassem o filho da vítima, de 19 anos, para a delegacia, já que era a única pessoa na cena do crime. Vizinhos contaram que ouviram a vítima gritando, pedindo socorro.

Coren se manifesta

"O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) lamenta a morte da enfermeira Fabiana Maria Amaro da Silva, de 39 anos, na madrugada desta segunda-feira (1º), em Várzea Grande.

Enfermeira desde 2015, a profissional começou sua carreira na saúde como técnica de enfermagem, em 2007. Ela trabalhou em unidades como o Hospital Regional de Alta Floresta, Hospital Metropolitano e o Centro de Testagem de Covid-19, em Cuiabá. Seu último emprego foi no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Neste momento de tristeza, o Coren-MT presta as suas condolências aos familiares e amigos de Fabiana."

 


Prefeitura lamenta

"O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro e o diretor-geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública, Paulo Rós, lamentam profundamente o falecimento da enfermeira Fabiana Maria Amado Silva, 39 anos, que trabalhava no Hospital Municipal de Cuiabá Dr. Leony Palma de Carvalho ( HMC) desde 01/12/2019.

Conforme noticiado na imprensa, Fabiana foi encontrada morta na madrugada desta segunda-feira (1), em sua residência no bairro Parque Paiaguás, município de Várzea Grande. Vítima de homicídio doloso.

"A enfermeira Fabiana foi brutalmente assassinada, estou profundamente abalado com o que aconteceu. Rogo a Deus para que conforte a família neste momento tão difícil e torço para que a polícia chegue até o culpado, e que a justiça seja feita", disse o prefeito.


Paulo Rós, diretor-geral da ECSP,  destaca que Fabiana era uma funcionária exemplar. "Ótima funcionária, extremamente dedicada ao trabalho, vai deixar um vazio muito grande. Que Deus conforte à família e amigos", disse.

Fabiana ingressou no HMC após passar em um processo seletivo. Ela atuava como enfermeira no período diurno e cursava o quinto semestre do curso de odontologia. Ainda não foram divulgadas informações sobre o velório e sepultamento."







Fonte:Gazeta Digital
 

Informe seu email e receba notícias!

Sitevip Internet